Tradutor

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

^^

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Dinheiro, a máquina que gira o mundo! Será?


 O mundo precisa “girar”, e, infelizmente, a grande roda que o faz mover-se é o dinheiro. A todo instante está havendo uma transação em alguma parte do mundo, seja em um banco, na bolsa de valores, numa empresa, nos supermercados, na padaria ou em algum lugar onde alguém quer comer um “hot-dog” (eu poderia ter escrito “cachorro-quente”, mas não é tão chique quanto “hot-dog”, o mundo nos ensina isso), ou ainda tomar um “refri”.
A grande verdade é que o dinheiro está presente em nossas vidas a todo instante – ou não, depende do ponto de vista – e querendo, ou não, somos obrigados a nos sujeitar à diversas situações para que tenhamos condições de tê-lo, e quanto mais melhor, não é verdade? No entanto, muitas famílias vêm sendo desestruturadas por causa do “bendito” dinheiro – a maioria pela necessidade, outras pela ânsia e ganância. Eis aqui o ponto que tentarei discutir brevemente neste texto: até que ponto somos reféns do sistema econômico que nos envolve?
É fato que precisamos trabalhar, e isso é até mesmo bíblico: “Quem não quiser trabalhar não tem o direito de comer” (II Tss 3,10b), mas não podemos ser escravos do trabalho. É difícil levantar essa questão porque sabemos que há famílias onde a necessidade é maior, a “precisão” fala mais alto. Contudo, penso que para tudo há um jeito, e se todos nós fôssemos mais prudentes em nossas decisões, em nossas atitudes, como, por exemplo, comprar algo que sabemos que vai nos deixar “apertados”; ter um monte de filhos sendo que não temos condições de criá-los e criá-los bem. Sei que isso envolve formação e informação, mas é uma questão óbvia e muitas famílias vivenciam essa realidade.
Quero incentivar aqui a doação e a economia: doação  de Deus, de amor e de tempo dos pais para seus filhos para que eles não encontrem na rua, no mundo, o que poderiam ter encontrado em casa: amor, afeto, reconhecimento... Tudo isso o mundo oferece através das drogas, da prostituição, da criminalidade que se tornam os deuses da vida desses jovens, e muitas vezes os pais não vêem porque estão muito ocupados pensando no dinheiro; economia das nossas riquezas naturais, e não falo só de conscientização sobre meio-ambiente (que é importantíssimo), mas sobre as riquezas naturais do ser humano: tempo, vida e saúde. 
Para terminar, gostaria de deixar a mensagem da Campanha da Fraternidade Ecumênica¹ de 2010, iniciada no Tempo da Quaresma, que tem como tema o slogan “Fraternidade e economia”: “Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro” (Mt 6,24). Vamos ser mais solidários, mais fraternos, e vamos compartilhar não só dinheiro e recursos, mas amor e vida.




____________________
¹Ecumênica: Porque, neste ano, não é uma campanha só da Igreja Católica, mas também de outras denominações religiosas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

+ / - ZOOM



Seguidores do Twitter

♣ Twitter ♣

Compartilhe

Bookmark and Share

Hora Certa!